Mulher é presa suspeita de aplicar golpe em cantora cearense fingindo trabalhar para produtor de Michel Teló e Ivete Sangalo – Rádio Asa Branca 99,5 – A Rádio de Boa Viagem

Mulher é presa suspeita de aplicar golpe em cantora cearense fingindo trabalhar para produtor de Michel Teló e Ivete Sangalo

Uma mulher foi presa por suspeita de aplicar golpe em uma cantora cearense fingindo trabalhar para o produtor musical Dudu Borges, conhecido por produzir álbuns para artistas como Michel Teló, Ivete Sangalo e a dupla Jorge e Mateus. Ela prometeu a realização de um DVD da vítima a preço de custo, e já havia recebido um depósito de R$ 80 mil. Ela foi presa em flagrante no Bairro Aldeota, em Fortaleza, na tarde desta quarta-feira (21), e foi autuada em flagrante por estelionato e falsidade ideológica.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), a Polícia Civil foi acionada pela vítima (cujo nome será protegido), que estava indo ao encontro da mulher em um hotel no Bairro Aldeota para pagar uma quantia no valor de R$ 20 mil, que a suspeita de estelionato dizia ser referente às taxas de patrocínio. A suspeita do golpe foi identificada como Yoná Cunha Torres, de 49 anos.

Yoná foi abordada por uma equipe de policiais civis, com a participação de um representante de Dudu Borges. Ele afirmou que a empresa não tem representantes no Ceará e que não conhece a mulher que aplicou o golpe.

‘Golpe muito bem arquitetado’

Conforme o advogado de uma das vítimas, Bruno Queiroz, a mulher tinha informações sobre a rotina do produtor Dudu Borges que a ajudavam a aplicar os golpes contra artistas cearenses.

“Esse golpe foi muito bem arquitetado porque a estelionatária era compositora e circulava entre músicos. Conheceu a vítima em um evento de compositores e, a partir de informações obtidas sobre o compositor Dudu Borges, passou a vender uma falsa imagem para a vítima de que poderia gravar um DVD a preço de custo. Ela agia com outras pessoas, por isso haverá investigação também pelo crime de associação criminosa”, explicou.

A Polícia Civil identificou ainda que a suspeita não possui nenhum vínculo com a empresa do produtor, e apreendeu parte do dinheiro que já havia sido repassado para ela, bem como os documentos que assinava se passando como representante da empresa. Diante disso, a mulher, sem antecedentes criminais, foi conduzida à Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), onde foi autuada por estelionato e falsidade ideológica. O dinheiro foi restituído à vítima.

Sistema Asa Branca de Comunicação

FONTE:G1CE